“Pra mim é o fim de tudo isso”, diz Niéde Guidon sobre situação do Parque da Serra da Capivara

46

“Eu era professora em Paris, filha de pai francês e mãe brasileira, comecei a trabalhar no Brasil, fazia cursos com meus alunos e em 1992 o governo brasileiro pediu à França para me emprestar para que eu fizesse o projeto para proteção da Serra da Capivara, porque sendo patrimônio da humanidade é obrigação do governo brasileiro protegê-lo. Então a França me emprestou, vim para cá, fiz todo esse projeto. Deixei de morar em Paris para morar em São Raimundo Nonato para defender esse patrimônio e não consegui. Realmente um fracasso total”.

Com essas palavras de desapontamento, a arqueóloga Niéde Guidon, diretora-presidente da Fundação Museu do Homem Americano e reconhecida pelo seu grande trabalho no Parque Nacional da Serra da Capivara, concedeu entrevista à Teresina FM falando sobre as dificuldades enfrentadas pela entidade.  Em tom de desabafo, ela mostrou cansaço e decepção pela falta de empenho do Governo Federal para com o parque. Segundo ela, a situação está tão ruim que até o final deste ano a Fundação vai ter que fechar.

“O problema que nós temos é que os recursos estão cada vez mais diminuindo. O deputado Paes Landim fez emenda, tivemos repasse do Iphan, mas infelizmente são recursos para obras, para compra de equipamento e nosso problema é o pagamento de pessoal. Nós já tivemos que demitir uma quantidade imensa de pessoas, é muito triste. A situação está de um jeito que até o fim do ano a Fundação vai ter que fechar. Nós tínhamos recursos da Petrobras, que enviava todo ano e podíamos manter o parque. Tínhamos também a compensação ambiental, em que as empresas cujo trabalho prejudica o meio ambiente eram obrigadas a pagar e muitas escolhiam a Fundação para fazer o repasse, como por exemplo, Chesf e Vale do Rio Doce. Mas o Lula teve a ideia de mudar a lei em 2008 e criar um Fundo em Brasília e sumiu tudo”.

Niéde explica que havia 28 guaritas no Parque com pessoas trabalhando e cerca de 270 funcionários, mas a equipe foi reduzida para 40. A pesquisadora reafirmou ainda da falta que o aeroporto de São Raimundo Nonato faz e o tempo que se perdeu para que fosse construído. Atualmente, o parque tem recebido 25 mil turistas por ano. “O problema não é a pesquisa. Do ponto de vista científico, foi algo extraordinário, sempre contamos com o apoio do Ministério de Ciência e Tecnologia, temos um museu que não existe outro igual na América do Sul. Agora se o aeroporto de São Raimundo Nonato tivesse pronto, que começou essa discussão desde 1987, teríamos 6 milhões de turistas e teríamos recursos para manter o parque. Todo o nosso projeto não precisaria do governo, porque o turismo manteria a região, inclusive traria dinheiro para o Piauí. Nós já tivemos firmas internacionais que queriam construir prédios, mas quando viram o aeroporto desistiram; é muito difícil trabalhar nessa situação”.

A pesquisadora abordou a negligência do governo federal e questionou o fato de haver crise, mas não serem reduzidos cargos em Brasília. Ela alertou ainda para o fato de que se a Fundação fechar, o parque seria destruído.  “Eu acho que eu me enganei pensando que no Brasil trabalhando corretamente poderia mudar a situação dessa região que conheci nos anos 80. Tudo que poderia ter sido trazido para essa região para ter um status de primeiro mundo deu errado por causa desse aeroporto e de tudo que temos aqui no Brasil. A situação econômica no país realmente está terrível, mas existe maneiras de resolver o problema. A primeira coisa seria reduzir o número de ministérios que são 39. Porque aumentar impostos em vez de diminuir ministérios? São essas coisas que não entendo na maneira de trabalhar no Brasil. A pesquisa está comprovada, publicada, temos nosso acervo, o problema é que o parque seria abandonado. As pessoas vão entrar, caçar, vão tirar madeiras, muitas guaritas foram destruídas depois que tivemos que tirar os funcionários. Nesse parque nacional foram investidos mais de 4 milhões de dólares que a Fundação conseguiu com o Banco interamericano, com a França, Itália. Como disse a própria Unesco, é uma infraestrutura fantástica, isso pertence ao Brasil e vai ser destruído”.

A arqueóloga diz que para a manutenção de toda a infraestrutura do Parque hoje seria preciso de no mínimo 400 mil reais por mês. Por enquanto a Fundação tem recursos, mas é necessário prever as indenizações, pois se não for restabelecido o financiamento normal o parque terá que ser fechado e os últimos funcionários demitidos. Ela diz que se fosse para recomeçar, não faria tudo de novo. “Eu acho que perdi realmente a minha confiança no Brasil, inclusive estou pensando que tenho que voltar para a França, porque aqui não deu certo. Estou com idade avançada, problema de saúde. Pra mim é o fim de tudo isso. Para me substituir tem pessoas da própria cidade que se formaram e fizeram pesquisa conosco e podem continuar o trabalho se tiverem coragem, mas sem dinheiro não podem fazer nada. E não tem nada a ver o fato de o Parque ser no Piauí, ele é nacional e é obrigação do governo federal, do qual sempre tivemos apoio, mas agora está em redução completa porque o Brasil está falido”.

 

46 Comentários

  1. Iveraldo Lucena on

    É inadmissível que isso venha a acontecer. O trabalho do PArque da Calivara é daquelas obras que ajudam a contruir uma Nacao e preserva a historia da humanidade.
    É preciso que se tenha vergonha em permitir aue ocorra essa ingnomia,

  2. Romero Rodrigues on

    Sou leigo no assunto, mas gostaria de ver uma exposição dos achados arqueológicos da serra da capivara, gostei muito do museu, muito organizado ,mas tem muita réplica e imagens;
    Gostariade ver uma exposição dos achados originais.
    Parabéns a N.guidon!

  3. Deuzimar Sousa on

    E uma vergonha um lugar tão lindo cheio cultura ter que fechar por falta de compromisso do governo gostaria de saber pra onde vai tantos impostos que o brasileiro paga

  4. Laerte Dias de Macedo Filho on

    Eu sou de Caracol e moro em Brasília desde 1989, já tentei voltar para minha terra e ajudar no parque Serra das Confusões mais de 6 vezes, nunca deu certo; amo minha terra natal, mas vejo o Brasil como uma terra de ninguem e não acredito mais em solução, principalmente para nossa região.
    Se o povo brasileiro não tomar uma atitude mais séria, não só o Parque Serra da Capivara que vai fechar, tudo vai fechar, a nossa vida vai fechar.
    E a vc Niede, parabéns.

  5. Francisco Silva on

    Se não fosse a senhora, Dra. Niéde, esse patrimônio certamente não chegaria aos dias de hoje. A luta é vitoriosa, sim. E as nova gerações terão de lidar com isso, levar adiante, fazer a sua parte. A guerra não está vencida, é verdade. Mas a senhora tem sido uma heroína por décadas. Incansável e inspiradora! O futuro há de reconhecer melhor a importância fundamental do seu trabalho na preservação desse riquíssimo lugar chamado Serra da Capivara. Sem a senhora, hoje já não haveria nada, todos sabemos!

  6. Conheci este parque a uns 15 anos, me surpreendeu a organização e a estrutura é lastimável o desabafo desta brava mulher idealista e merecedora de nosso reconhecimento. Até a onde vão os descasos de nossas autoridades com nossos Patrimônios.

  7. muito triste. Tamanho esforço, sucumbir à má gestão, de muito tempo. Um tipo horrível de sucateamento, palavra tão em voga outrora. Vários sítios para serem pesquisados, fauna, flora, ecologia, enfim, uma perda inestimável. Mais cortante é sentir o quão desiludida está a Professora Niéde Guidon. Uma vida toda de dedicação. Há como reverter?

  8. Niéde Guidon tem dedicado bem umas três décadas à preservação de um patrimônio que é nacional, mas que a Nação jamais o tratou com a seriedade devida. Abriu mão da vida social, do conforto e facilidades em uma grande metrópole em prol de um projeto de grande envergadura, não apenas no plano da carreira pessoal, mas para a história do país. Durante todo esse tempo tem lutado brava e tenazmente contra o seu maior inimigo: – a mentalidade irresponsável e tacanha dos governantes brasileiros.
    Para a construção de “arenas” futebolísticas açudes de dinheiro foram desperdiçados em obras mega faturadas. Mesmo com a imprensa noticiando, nada aconteceu que impedisse tamanho descalabro. Já para a construção de um mero aeroporto – que bem pode ser realizada através de parceria público/privada.
    Fosse outro o país e Niéde não apenas teria todos os recursos de que a Fundação e o Parque necessitam, mas seria reconhecida e prestigiada, distinguida através de títulos e premiações.

  9. Almira Rossetti Lopes on

    Almira Rossetti Lopes Sra Niéde Guidon ,eu sou solidaria com sua dor. Não é fácil sentir tanta desvalorização .Mas tenho certeza que dentro da sra. fica de forma indelével a sua disponibilidade, a sua curiosidade ,a sua tenacidade e o seu amor pela arte de nossos ancestrais ,a capacidade de lidar com este passado de tão difícil acesso .

  10. Nivaldo Antonio Leal on

    Muito comovente ouvir essas declarações, mas uma realidade, completo descaso de um patrimônio nacional. Sei que você Niéde dedicou sua própria vida a essa região, acredito que não só o povo piauiense, mas todo o país irá lamentar se o parque fechar. Eu acredito em providencia divina, e estarei orando pela recuperação financeira da instituição, e o restabelecimento das famílias que perderam seus empregos, como diz a palavra de DEUS (a bíblia) “[…] A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5 : 16b). Tenha fé vai dar tudo certo.

  11. Lucas S. Teodoro on

    Tudo que poderia ter sido trazido para essa região para ter um status de primeiro mundo deu errado por causa desse aeroporto e de tudo que temos aqui no Brasil. A situação econômica no país realmente está terrível, mas existe maneiras de resolver o problema. A primeira coisa seria reduzir o número de ministérios que são 39. Porque aumentar impostos em vez de diminuir ministérios? São essas coisas que não entendo na maneira de trabalhar no Brasil. Porque o Brasil está falido.

  12. Realmente temos que nos mobilizar e impedir esse acontecimento! Peço auxílio as instruções de ensino médio e superior, a todos os pesquisadores que de maneira direta ou indireta foram beneficiados pelas ações e descobertas realizadas no parque. Não vamos permitir uma atrocidade dessas!!!!

  13. Roselena Bicudo on

    faz um ano que eu e minha filha Andrezza estivemos na Serra da Capivara e também tivemos o privilégio de conhecer esta mulher guerreira,que dedicou toda sua vida neste projeto.
    minha filha conseguiu uma entrevista com a Nied Guidon,onde ela fez todo este desabafo,ficamos muito triste com tudo que ela nos disse.
    Desejo que revertam esta situação!

    Roselena Bicudo da Silva

    16/07/2015

  14. pascoal da conceição on

    .Penso na Grécia hoje submetida a um “modelo de economia” que pretende lhe tirar o coro para pagar a dívida com os banqueiros, ao mesmo tempo que não quer ver, nem paga e agradece a inestimável contribuição que seu povo deu ao mundo.
    É a ignorância que não tem partido e tampouco humanidade.
    Inteligência neles

  15. Roberto Falcioni on

    Sou professor de história no Paraná. Estou há quatro anos ensinando meus alunos sobre o trabalho da Niede, não pude conhecer o sitio e pelo jeito, agora só com documentários da Guidon no YouTube.

  16. CRISTINA REZENDE on

    MAIS UMA VEZ A PESQUISA VAI PELO RALO, O TRABALHO DELA É MARAVILHOSO, MAS COMO TUDO NESSE PAÍS RELACIONADO A CULTURA FOI PRO RALO

  17. E não é apenas o Parna Serra da Capivara que está em franca decadência, a maioria das unidades de conservação administradas pelo ICMBIO está totalmente sucateada, os recursos financeiros são insuficientes ano após ano causando a falência do sistema, o patrimônio público mais importante do Brasil não merece investimentos.

  18. Thiago Avelino on

    Se o Governo federal trata dessa forma todo um patrimônio da Humanidade, nós podemos ter a certeza da utopia de progresso desta nação. A nação dos “bestializados” de José Murilo de Carvalho. Tudo falido. Onde está o corpo acadêmico Brasileiro que não se mobiliza para liderar uma intervenção e salvar tão precioso trabalho da Dra. Niéde Guidon? Meu primo Flávio trabalhou com esta lutadora e sempre nos falou de sua bravura. Tudo isso é de fato lástimavel.

  19. Pingback: “PRA MIM É O FIM DE TUDO ISSO”, DIZ NIÉDE GUIDON SOBRE SITUAÇÃO DO PARQUE DA SERRA DA CAPIVARA | TOK de HISTÓRIA

  20. Misael Fernandes on

    A situação dos parques no Brasil sempre foram medíocres. Existe um pequeno ( geograficamente ), parque na divisa entre a Paraíba e o Rio grande do Norte, chamado ” Parque dos Dinossauros “, que possui pegadas enormes e impressionantes de dinossauros e inscrições rupestres valiosas. Mas o que acontece? O movimento é aquém daquele que se espera, pois a construção, manutenção e divulgação da estrutura receptiva depende de atitudes políticas( no mínimo e geralmente municipais e estaduais ) para o fomento do turismo no local. Acontece que não há interesse pela divulgação da paleontologia em nosso País. A paleontologia para a grande maioria é uma estória inventada por hereges. Você duvida? Tudo bem, mas pense a respeito dessas ” tolices ” que estou lhes dizendo. A paleontologia não é levada a sério porque desmonta o ” Status Quo ” das religiões e o Brasil possui 83% de religiosos, em sua grande maioria católicos.Por outro lado, o Brasil tem problemas econômicos sim, mas que são muito menores que muitos outros países pelo mundo, principalmente os europeus, A atual administração tem seus defeitos, mas, por outro lado, o País está sendo atacado por aqueles que deveriam defendê-lo e que através do engessamento político das instituições nacionais está também paralisando os setores econômicos, como por exemplo, as construtoras nacionais, e incendiando a sociedade menos preparada com montagens Gobellianas nas grades diárias de jornalismo. O Brasil tem grandes batalhas pela frente, e uma delas é dar comida para os mais necessitados ( O que já vem sendo feito com muita competência ), a outra é educar um povo com 500 anos de atraso social ( Nesse caso a responsabilidade dos governos estadual e municipal nunca foi cumprida na imensa maioria dos casos, pois o problema nesse momento se encontra no ensino médio e fundamental ). Equacionar Sustentabilidade x crescimento econômico x cultura x distribuição de renda x justiça social de forma igualitária e razoável é o maior desafio da nação pois o conhecimento formal e bem estruturado ainda pertence a uma elite econômica minoritária. Não resolveremos nossos problemas em alguns anos, mas não devemos perder a esperança de ver nosso Pais melhorar. Países europeus levaram cinco mil anos para sair da barbárie. Seria desonestidade intelectual de minha parte atacar apenas uma parcela política, quando sabemos que existem muitos personagens importantes envolvidos em problemas dos mais variados, que não são nem mesmo citados. A grande maioria dos brasileiros não sabe como as notícias políticas são criadas nos corredores do jornalismo brasileiro. Quero pedir desculpas se os meus escritos estão um pouco desalinhados estruturalmente. Espero não ter sido desrespeitoso. Procuro sempre atacar as ideias, nunca as pessoas. Se o motivo desse problema no parque for comprovadamente relacionado a um problema de má gestão do governo federal, podem contar comigo para engrossar o coro dos descontentes, mas antes, penso eu, é preciso que se revelem os caminhos por onde essa desordem começou, para que possamos criar um juízo de valor equilibrado e justo para com os envolvidos.

  21. Se em tempos de vacas gordas o projeto não aconteceu, acho que ela está bem certa em ir embora. É realmente triste, temos que encarar a realidade, é muito atraso nesse país.

  22. Professora Niéde, o que você construiu não se perderá, embora o Brasil esteja perdido, mas não nós, brasileiros.

  23. Depois de tantos anos dedicados à preservação dos achados rupestres da Serra da Capivara, é triste ver essa corajosa e competente pesquisadora, chegar à triste conclusão da inviabilidade de um projeto, que com o acesso aéreo previsto, seria auto sustentável. Espero que as autoridades do nosso país, revejam a situação exposta pela Professora Niéde Guidon, salvando este património da humanidade.

  24. Pingback: Niède Guidon: a saga da Serra da Capivara | ArtenaRede

  25. Antonio Carlos on

    Com esse bando de ignorantes no poder, esperar algum avanço em pesquisa, conservação e cultura é desesperador mesmo! E o problema NÃO é falta de dinheiro….os desvios bilionários e as contas gordas dos ladrões em paraísos fiscais são a prova!. Falta gente culta e honesta apenas…. Lula e companheiros são os maiores traidores do Brasil nos últimos 500 anos.

  26. Pingback: PERDI REALMENTE MINHA CONFIANÇA NO BRASIL, “PRA MIM É O FIM DE TUDO ISSO”, DIZ NIÉDE GUIDON SOBRE SITUAÇÃO DO PARQUE DA SERRA DA CAPIVARA

  27. Edinalva Vasconelos on

    O Parque da Serra da Capivara é um lugar belíssimo e um dos maiores patrimônios do Brasil e o governo vai deixar acabar? Pra onde está indo tantos impostos???? Isso é uma vergonha. O povo brasileiro precisa reagir!!!!!

  28. É mesmo triste ver tanto investimento em pesquisa e tanto conhecimento adquirido esteja correndo o risco de se perder por puro desiteresse público, ou melhor, interesse há, deles mesmos (políticos) por seus cargos, benefícios, salários, etc. Como pode uma país progredir em tantas áreas ainda carentes de progresso com tanta gente pensando apenas no seu interesse pessoal e não no que melhor para a nação. Espero que Niede Guidon não perca a fé, em nós pois assim estaríamos ainda mais orfãos, sem o apoia de gente que luta pra proteger o nosso patrimônio cultural.

  29. Paulo José Cunha on

    Sou Paulo José Cunha, jornalista, escritor, documentarista. E me lembro da alegria da dra. Niéde quando foi criado o parque, no governo Itamar Franco. Pessoalmente nos colocou num jipe e, guiando, nos levou a conhecer vários aspectos do projeto. O entusiasmo dela era contagiante! Como contsgiante é hoje o sentimento de derrota e decepção. Uma marcha a Brasília, mesmo com poucas pessoas, poderia chamar a atenção para esse descaso. Contem comigo no que puder ajudar.

  30. cecilia cordioli on

    É lamentável. Perde a nação. Perde a ciência. Como brasileira sinto vergonha e impotência de mudar esse triste panorama.

Deixe uma resposta