Saúde precisa de ação do poder público e não de alerta

0

Não se pode negar que o prefeito Firmino Filho é um gestor competente, responsável, inteligente, cumpridor das suas obrigações.

Sabemos do esforço do prefeito para a solução dos problemas de Teresina, aliás, muitos, que se multiplicam com a chegada de contingentes populacionais do interior e de outros estados, os quais, juntos, acrescentam problemas e exigem ação eficaz do poder público.

Sabemos que o prefeito fez um esforço enorme para se reeleger, atraindo para sua campanha nada menos do que 23 partidos, sem os quais não teria ganhado a eleição.

Mas sabemos também das imensas dificuldades que a cidade enfrenta e que precisam de medidas urgentes para atender às necessidades das pessoas.
Lembremos que, salvo engano, foi o falecido prefeito Wall Ferraz que disse que a cidade é o povo. Povo é um substantivo que recebe adjetivação superlativa dada a sua importância na conformação dos sentidos e dos sentimentos locais e pátrios.

Pense aí você: o que é o povo? Como se comporta o povo? Que sentimentos tem o povo? O que pretende o povo? Que cidade e que país o povo quer fazer para viver bem na cidade e no país?

Pois bem: todo esse “leriado” tem razão de ser apenas para confrontar o que se publicou hoje na internet: o prefeito fez um pedido como se fosse “um presente retórico” ao Ministério da Saúde, querendo solidariedade da União para a questão da saúde pública em Teresina, especialmente para o HUT.

Falou então o prefeito que o HUT poderia ser federalizado. E pode, sim. O HUT presta um serviço de altíssimo valor ao povo do Piauí, do Maranhão, da Bahia, do Pará, do Tocantins e de outros estados que para cá vem em busca de salvar a vida.

Qual é o contraponto? Prefeito, governador e presidente da República não deve fazer presente retórico. Prefeito, governador e presidente da República deve resolver os problemas. Deve brigar em defesa do seu povo, da sua gente, que o elegeu.

O prefeito deveria conversar com o governador para, juntos, tentar solucionar o problema da saúde pública de Teresina, antes que o caos seja insuportável.

Em vários outros estados a situação está pior, mas esta não é a justificativa para não fazer nada. É preciso arregaçar as mangas e deixar de fazer política partidária, como o governador e o prefeito vêm fazendo.

Tá bom.

Esta é a ideia, cidadãs e cidadãos piauienses.

Domingos Bezerra Filho

Ponto de Vista – Jornal da Teresina 2ª Edição de 16.02.17.

Deixe uma resposta