Só depende de nós!

0

Dom Luiz Demétrio Valentini, bispo-emérito de Jales, uma cidade do interior paulista, fez recentemente, em Brasília, um alerta muito sério e que deve ser motivo de reflexão de todos nós brasileiros.

Membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora da CNBB, o religioso chamou a atenção para o silêncio das ruas brasileiras.

Segundo ele, o silêncio das ruas é sintoma de que não temos mais esperanças nas instituições brasileiras.

O silêncio das ruas não é uma concordância tácita com o que está acontecendo, como alguns querem fazer acreditar.

Pelo contrário, é um sintoma preocupante de que não temos mais esperanças e sinais concretos para recuperar o rumo da caminhada histórica do Brasil.

No Brasil de hoje, o poder Judiciário e o Congresso Nacional estão instrumentalizados para salvar os seus próprios privilégios.

Não se pode permitir – diz o bispo – que ministros do Supremo Tribunal Federal façam do seu cargo uma opção política partidária a ser defendida publicamente.

Isto diminui a legitimidade, a confiança e é perigoso para uma nação.

Dom Demétrio disse que os grandes interesses convergiram e o presidente que temos agora serve de instrumento da execução destes interesses escusos que não são publicados.

O religioso defende a necessidade de se ajudar o povo brasileiro a reencontrar sua identidade e destino históricos, sua feição cultural, sua tradição e fazer convergir todas estas realidades para que a cidadania brasileira reencontre os rumos do país.

Quando se perde a confiança nas instituições democráticas começamos a trilhar um caminho ainda mais perigoso.

Desacreditar na justiça, por exemplo, nos deixa órfãos.

Sem a justiça, a quem vamos recorrer?

Sem a justiça, quem vai aplicar a lei tão necessária para o estabelecimento dos direitos de cada um de nós?

Não, em momento algum não podemos crer num país sem instituições democráticas sólidas.

Vivemos – não se pode negar – uma grande e grave crise de confiança no Brasil e não se pode culpar a população por isso.

Essa crise que vivemos hoje vem sendo alimentada há bastante tempo exatamente por quem teve ou ainda tem a obrigação de evitá-la, por quem teve ou ainda tem o dever de garantir a solidez dessas instituições.

A única arma capaz de restabelecer a ordem nesse Brasil de Deus nos acuda é, na verdade, o voto.

Só o voto livre e democrático dos brasileiros poderá mudar o curso dessa história de lama que envergonha a todos os homens de bem desse país.

Tudo, mais uma vez, vai depender de nós.

Aliás, só depende de nós.

Opinião Jornal da Teresina I Edição (10.08.17)

Deixe uma resposta