UESPI está entre as melhores, segundo o MEC

0

A Universidade Estadual do Piauí é a instituição de ensino superior piauiense com o maior índice de notas satisfatórias do estado. Foi o que constatou o índice geral de cursos do MEC, divulgado na última sexta (18), em que 96% dos cursos da universidade tiveram notas consideradas suficientes ou muito boas. Foram avaliadas 27 instituições em todo o Piauí, reunindo ao todo 332 cursos e, destes, 77 da UESPI.

O curso melhor colocado no ranking nacional foi o de Agronomia do campus de Picos, logo em seguida vêm Fisioterapia, de Teresina; Turismo, de Teresina; Licenciatura em Biologia, de Parnaíba; Psicologia, de Teresina; Direito, de Picos; Engenharia Civil, de Teresina; Pedagogia, de Campo Maior; Licenciatura em Biologia, de Campo Maior; e Licenciatura em Letras/Português, de Bom Jesus.

A UESPI possui ainda 13 cursos em primeiro lugar em nota no estado: Agronomia (Picos), Computação (Teresina), Biologia (Parnaíba), Engenharia Civil (Teresina), Física (Teresina), Fisioterapia (Teresina), História (Teresina e Parnaíba), Letras/Português (Bom Jesus), Letras Português/Inglês (Parnaíba), Pedagogia (Campo Maior), Turismo (Teresina) e Zootecnia (Corrente).

Para o pró-reitor adjunto da PREG, Paulo Henrique Pinheiro, a divulgação dessas notas representa a continuidade do processo acadêmico, uma vez que as instituições de ensino superior que têm notas abaixo de 3 no geral respondem a sanções tais como corte de vagas no vestibular, suspensão do vestibular ou descredenciamento de cursos. “No caso da UESPI, ela como instituição tem nota 3, e os cursos, a grande maioria, tem nota acima de 3, sendo que a UESPI é das instituições do Piauí a que tem melhor desempenho com relação a cursos com avaliação satisfatória”, disse.

Outra avaliação feita pelo MEC que merecerá atenção no próximo ano é o ENADE, que nesse ano contemplou cursos como Jornalismo, Direito, e outros da área de humanas, e em 2016 avaliará os cursos da área de saúde. O exame terá mudanças e a principal é que a nota vai agora para o histórico escolar do aluno, passando a valer como critério de avaliação para pós-graduações como residência, mestrado e doutorado.

“Estamos com um projeto de extensão, chamado ‘ENADE mais’, e nesse ano fizemos uma reunião com os alunos, não no sentido de fazer revisão, mas de esclarecer os alunos da importância de fazer bem a prova, para gerar uma nota satisfatória não só pro aluno como pro curso e para a própria UESPI”, destacou.

 

 

Deixe uma resposta