Propaganda do Governo do Estado do Piauí

Gentileza gera gentileza 

13 de novembro de 2019

O calendário assinala o 13 de novembro como o dia da gentileza.

Muita gente, com certeza, não sabe que no calendário existe um dia para se festejar a gentileza, mas ele existe.

O dia da gentileza, criado no ano 2000, no Japão, surgiu exatamente para inspirar pessoas a serem gentis, na tentativa de se criar um mundo melhor.

A gentileza é uma genuína preocupação com o bem estar dos outros. A vontade de ajudar outros a se sentirem bem, sem esperar retribuição.

Pesquisas demonstram que pessoas gentis são mais saudáveis, tem relacionamentos melhores, são mais produtivas no trabalho e vive por mais tempo.

E, claro, são muito mais felizes.

Madre Teresa de Calcutá dizia que palavras gentis podem ser curtas e fáceis de falar, mas seus ecos são verdadeiramente infinitos.

O Profeta Gentileza que por aqui andou nos anos 70 e 80 tentou nos ensinar isso, mas não ligamos, fizemos ouvido de mercador, não fizemos questão de aprender.

O profeta Gentileza – figura mítica do Rio de Janeiro – transformou-se num andarilho ao assistir ao incêndio de um grande circo em seu estado natal.

Dono de uma transportadora de cargas à época, Gentileza abandonou a família e a fortuna e saiu pelo Brasil ensinando que gentileza gera gentileza.

Preferimos receber a mensagem do profeta como coisa de maluco, coisa de quem é portador de graves transtornos mentais.

Gentileza podia sim ter algum transtorno, mas o que ensinava em suas frases pregadas à própria roupa era real, era verdadeiro.

Esquecemos que a gentileza normalmente vem das pessoas mais simples, mas nunca é tarde para recomeçar, nunca é tarde para aprender.

Nunca é tarde para aprender que gentileza gera gentileza.

Leo Buscaglia, escritor ítalo-americano morto em 1998, dizia que muito frequentemente nós subestimamos o poder de um toque, subestimamos o poder de um sorriso, subestimamos o poder de uma palavra gentil;

Subestimamos um ouvido atento, um elogio honesto, ou o menor ato de cuidado, talvez sem compreender que qualquer um desses gestos tem o potencial de mudar uma vida.

É muito difícil conviver com a falta de gentileza.

Estudos comprovam que pessoas que praticam a gentileza aumentam o seu grau de felicidade. Isso porque a gentileza está ligada ao gene que libera a dopamina, neurotransmissor que proporciona bem-estar.

Aqueles que ajudam os outros regularmente têm mais saúde mental e menos depressão.

Pessoas gentis não são individualistas.

E ser gentil não custa nada.

Um sorriso não custa nada.

Afinal, como disse o poeta Mário Quintana, o sorriso enriquece os recebedores sem empobrecer os doadores.

E sorrir, o simples ato de sorrir, é um ato de gentileza.

Leia também

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM