Banner de Aniversário

Economia

“Dinheiro esquecido”: confira como resgatar valores de falecidos

Serviço do Banco Central libera acesso para saques nesta terça-feira (7). Há mais de R$ 6 bilhões para serem devolvidos.

Publicado por: Lilian Oliveira 07/03/2023, 17:24

Os saques de dinheiro esquecido em instituições financeiras começam nesta terça-feira (7), às 10 da manhã, pelo Sistema Valores a Receber (SVR), do Banco Central do Brasil. A consulta a valores de pessoas falecidas pode ser feita por herdeiro, testamentário, inventariante ou representante legal.

Após o preenchimento de todas as etapas no sistema do BC, a autoridade monetária irá informar ao responsável os dados de contato (e-mail e telefones) das instituições nas quais há dinheiro esquecido, além do valor exato a ser resgatado. O saque deverá ser feito diretamente com as instituições.

Foto: Natalia Filippin

Ao todo, 38 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de empresas têm cerca de R$ 6 bilhões a resgatar, segundo o Banco Central.

Confira o passo a passo para sacar o dinheiro de pessoas falecidas:

1 – A primeira etapa é saber se há valores a receber.

2 – Após clicar no botão da imagem acima, será aberta a página para consulta pública.

  • Nessa etapa, o herdeiro precisa preencher os campos com CPF e data de nascimento da pessoa falecida.
  • Caso tenha valores a receber, a tela irá indicar o terceiro passo.
  • Em caso contrário, o sistema irá sugerir uma nova consulta em outro momento, após possíveis atualizações de dados encaminhados por instituições ao BC.

3 – Confirmado que há dinheiro a resgatar, será aberta uma nova página do SVR.

  • De acordo com o BC, esse sistema é semelhante à compra de ingressos.
  • Ou seja, se houver acessos simultâneos acima da capacidade, o usuário ficará em uma sala de espera virtual aguardando sua vez.

4 – Na sequência, o usuário precisa fazer login com a conta gov.br. Os dados da conta são do próprio representante da pessoa falecida.

5 – Em seguida, o usuário será encaminhado para o valor a receber.

  • Nessa página, basta selecionar o botão “valores de pessoas falecidas”.

6 – É preciso aceitar o Termo de Responsabilidade para prosseguir no sistema.

  • Após concordar, o usuário terá acesso aos dados do falecido. Os registros de acesso ficarão gravados na base de dados do BC.
  • O responsável pela consulta irá se comprometer a manter os dados acessados em sigilo, dentro das previsões da lei.

7 – Na tela seguinte, o usuário terá que informar o CPF e a data de nascimento do falecido.

  • Serão acessadas, então, as informações de valores a receber.

8 – Caso haja dinheiro esquecido, as respectivas contas aparecerão na tela.

  • A visualização será feita por faixa de valor, conforme o exemplo abaixo. O resultado também irá mostrar as instituições e seus respectivos canais de contato.
  • O usuário terá opções de compartilhar, imprimir ou salvar a tela. Não poderá, no entanto, usar o sistema para solicitar o valor. Isso deverá ser feito diretamente com as instituições.

9 – O responsável pelo preenchimento deve entrar em contato com as instituições.

  • Elas deverão orientar sobre como solicitar o recurso, incluindo a documentação necessária.
  • De acordo com o BC, os dados de quem aceitou o termo e realizou a consulta serão mantidos em sigilo.

Além de valores esquecidos em contas correntes, poupanças, cooperativas de crédito, consórcios e tarifas e empréstimos, o sistema do Banco Central agora mostra valores oriundos de contas de pagamento, corretoras de títulos e valores mobiliários.

Neste ano, há também uma sala de espera virtual, que permanece aberta por prazo indeterminado, para efetuar o pedido do saque. Ou seja: não haverá, como no ano passado, necessidade de agendamento.

Segundo o BC, o sistema também ganhou mais transparência para quem tem conta conjunta. Se um dos titulares solicitar o saque de dinheiro esquecido, o outro, ao entrar no sistema, conseguirá ver as informações da solicitação: valor, data e CPF de quem solicitou.

A consulta a valores de pessoa falecida ganhou acesso para herdeiro, testamentário, inventariante ou representante legal, e informará os dados de contato da instituição responsável pelo valor e a faixa de valor.

Segundo o Banco Central, o prazo de devolução é em até 12 dias úteis, se você solicitou o seu valor pelo SVR, clicando em “Solicitar por aqui”, e indicou uma chave PIX. Em casos diretamente combinados com a instituição financeira correspondente, não há prazo definido.

Fonte: G1
Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM