Educação

Comissão de Educação da Câmara vai se reunir com professores da rede municipal em greve

A informação foi confirmada pelo vereador Enzo Samuel, líder do prefeito no parlamento teresinense

Publicado por: Wanderson Camêlo 13/05/2022, 08:55

Matéria de Wanderson Camêlo (com colaboração de Eric Souza)

O líder do governo na Câmara de Teresina, Enzo Samuel (PDT), confirmou uma reunião com um grupo de professores do Município que estão em greve. Os docentes cobram da prefeitura um reajuste salarial de 33,24%, referente ao novo piso do magistério.

“Conversei com a vereadora Fernanda [Gomes, SDD] e montaremos uma comissão de professores, com os quais iremos dialogar e construir soluções de forma coletiva, afinal esta [Câmara] é a casa do povo”, afirmou o parlamentar.

Enzo Samuel, vereador pelo PDT e líder do prefeito na Câmara (Foto: Wanderson Camêlo/Teresina FM)

Uma nova discussão sobre o reajuste, no entanto, foi descartada pelo vereador, que destacou a votação feita pela CMT em fevereiro deste ano, quando o aumento de 16%, sancionado posteriormente pelo prefeito Doutor Pessoa (Republicanos), foi aprovado.

“Já houve votação, então essa pauta não pode mais retornar à Casa. Naturalmente, respeito as opiniões e manifestações de cada professor; porém, quando votamos, pensamos no todo, nos baseamos em documentos de órgãos oficiais, nos demais servidores e na própria Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)”, esclareceu.

Desde a sanção do aumento, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindserm) cobra dos vereadores uma nova rodada de debates. A entidade vai ser responsável pela formação do grupo que vai se reunir com vereadores que integram a Comissão de Educação da Câmara. A data do encontro ainda não foi definida.

Greve dos professores

Os profissionais da educação que prestam serviços para a prefeitura de Teresina deflagraram greve em 7 de fevereiro deste ano. A categoria exige a implementação do aumento do piso salarial do magistério, no percentual de 33,23%, conforme prevê a legislação federal sobre o piso do magistério para 2022, bem como o rateio das sobras do Fundo Nacional da Educação Básica (Fundeb) de 2021.

Professores da rede municipal protestam em frente ao Palácio da Cidade (Foto: Divulgação/Sindserm)

Já em 8 de abril, o Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) decretou a ilegalidade da greve dos professores da rede municipal e estipulou multa diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento da ordem.

Na última sexta-feira (6), o TJ-PI decidiu manter a ilegalidade da greve e aumentou para R$ 30 mil a multa para caso de descumprimento da decisão de regresso às salas de aula.

Matérias relacionadas:

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM