Banner de Aniversário

Esporte

Após estreia olímpica em Tóquio, João Henrique Falcão conquista duas medalhas no Pan-Americano Júnior

Atleta nascido no Piauí leva ouro no 4x400m misto e prata no 4×400 masculino e ajuda Time Brasil a liderar quadro de medalhas

Publicado por: FM No Tempo 07/12/2021, 11:34

O Time Brasil fez história nos Jogos Pan-Americanos Júnior de 2021, disputados em Cali, na Colômbia. Findados os 11 dias de competição, o país se manteve na 1ª colocação do quadro geral de medalhas com 164 conquistadas (59 ouros, 49 pratas e 55 bronzes). Apenas no atletismo, a potência sul-americana garantiu dez medalhas douradas, dentre elas a do piauiense criado no Maranhão João Henrique Falcão.

Em entrevista concedida ao JT1 da Teresina FM nesta terça-feira (7), o velocista falou sobre sua experiência em Cali e em Tóquio, as conquistas coletivas e individuais neste ano e a questão do patrocínio e investimento em atletas nordestinos e brasileiros.

Foto: Teresina FM

Medalhista de ouro no revezamento 4x400m misto e de prata no 4x400m masculino, João Henrique carimbou sua participação no Pan Júnior como o atleta nascido no Piauí com o melhor desempenho no torneio.

“Foram dias bem intensos, cheguei em Teresina hoje por volta das 2h30. Voltei com duas medalhas conquistadas não apenas por mim, mas também por meus companheiros. Fico contente em agregar com o Time Brasil, que terminou em 1º lugar nos Jogos”, declarou.

Além do Pan Júnior, João Henrique também foi campeão olímpico no Sul-Americano de Atletismo (4x400m masculino) disputado em Guayaquil, no Equador, e vice no Mundial de Revezamentos (4x400m misto) em Chorzow, na Polônia. Ambas as competições aconteceram em 2021, ano descrito pelo velocista como “fantástico”.

Ainda neste ano, o atleta teve a chance de participar das Olimpíadas de Tóquio graças ao bronze conquistado na Taça Brasil de Atletismo, em 2020, e à desistência do colega Lucas Carvalho, que disputaria a categoria 4x400m misto e decidiu concorrer apenas no 400m masculino. Durante o torneio, a equipe brasileira terminou em 14º lugar nas eliminatórias e não avançou à final.

Foto: Wagner Carmo/CBAt

Para João, no entanto, o resultado na pista não diminuiu a importância da estreia nos Jogos Olímpicos. “Só estar lá e vivenciar a experiência de um atleta olímpico já foi algo grandioso. São poucos que chegam a esse patamar, e tive a grande felicidade de alcançá-lo”, ressaltou.

Atualmente, o velocista representa o clube CT Maranhão, de Timon, coordenado pelo medalhista olímpico José Carlos Moreira, o Codó, bronze em Pequim 2008. A instituição, segundo o próprio João, é de extrema importância em sua carreira e o ajuda a participar de competições Brasil e mundo afora. O jovem já veio a público algumas vezes cobrar mais investimento no esporte por parte de empresários e autoridades.

Por fim, um dos grandes nomes do atletismo brasileiro em 2021 deixou um recado àqueles que estão iniciando suas trajetórias esportivas: “Você deve sempre acreditar no seu potencial. No começo é difícil, mas você precisa lutar ao máximo e estar sempre alinhado ao seu treinador a fim de alcançar seus objetivos”, concluiu.

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM