Geral

Consumidor está desacreditado das promoções da Black Friday

Confira dicas para evitar fraudes e maus negócios

Publicado por: Lilian Oliveira 26/11/2021, 07:30

Matéria de Eduardo Costa 

Muita gente economiza durante o ano para fazer uma compra específica de maior valor em liquidações. Uma das ações mais esperadas pelos consumidores é a Black Friday, que inaugura a temporada de compras de natal com promoções significativas nos mais variados âmbitos lojistas. Criado nos estado Unidos, a cultura de oferecer descontos na sexta-feira seguinte ao dia de ações de graça foi adotada por diversos países.

Em algumas lojas no Brasil, as promoções são estendidas por até uma semana. Mas, recorrentemente, os órgãos de fiscalização encontram fraudes nos valores ofertados. Geralmente, os preços são aumentados semanas antes da Black Friday para que o consumidor pense que está levando um produto com grande desconto.

Foto: Divulgação/SIndiLojas

Em alguns casos, a compra desses produtos decepciona o consumidor que opta por ter uma maior comodidade com as compras online. Victor Oliveira é Supervisor de vigilância Privada e para ele, o grande problema na Black Friday são as compras pela internet. “Eu não acredito muito na compra pela internet, apesar de comprar por ela. Mas na Black Friday a confiança fica ainda menor. São produtos muito caros com descontos surpreendentes e quando a gente compra, confiando na loja e de que o produto irá chegar com a qualidade anunciada, acabamos tendo uma surpresa negativa”, disse o consumidor.

Laísa Matos é dentista, e, como consumidora, acredita que não existe diferença entre os preços entre a Black Friday e classifica o evento, no Brasil, como algo frustrante. “Eu fico muito confusa em relação a Black Friday no Brasil. Os preços não tem muita alteração e quando tem os valores são muito baixos. Então levando em consideração a situação econômica atual do País, não compensa comprar e nem criar expectativa. A Black Friday no Brasil é frustrante”, relatou.

O assessor técnico de educação para o consumo do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), do Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI), Ricardo Alves, garante que equipes estarão à disposição doa consumidores para denúncias durante a Black Friday e informa como os consumidores devem proceder ao suspeitar de fraudes.

“Nós teremos na sexta-feira uma equipe direcionada para atender o chamado dos consumidores, mas o consumidor não necessariamente precisa ter aquela oferta garantida naquele dia. O consumidor também pode registrar, se for em loja física através de foto ou pela internet através de print e encaminhar a denuncia ao Procon. Nós temos um e-mail, é o atendimentoprocon@mppi. mp.br para que nós possamos receber as denúncias e saber as dores do consumidor em relação à ofertas para que nós posamos fiscalizar”, destacou Ricardo Alves.

Ricardo Alves (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

A comissão do Direito do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, A OAB-PI, através do presidente Mariano Cerqueira, destaca que o órgão trabalha na conscientização dos consumidores e que está em parceria com o Procon para a fiscalização das ofertas durante a Black Friday.

“A OAB-PI dentro da Black Friday atua de forma a conscientizar os consumidores sobre práticas do mercado, para que tenham um maior conhecimento e não caia em golpes. Caso o consumidor perceba que tenha caído em um golpe, recomendamos buscar inicialmente a delegacia especializada para registrar um boletim de ocorrência e prosseguir com a investigação. Além disso, estamos trabalhando em parceria com o Procon na fiscalização ostensiva dessas ofertas que não sejam compatíveis com o mercado”, ressaltou Mariano Cerqueira.

Mariano Cerqueira (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

Tertulino passos, presidente do Sindicato dos lojistas do comércio do estado do Piauí (Sindilojas) afirma que os consumidores encontrarão os preços dos produtos ofertados de acordo com os valores anunciados.

“Temos nos reunido constantemente com todos os lojistas em relação as promoções que são feitas. Hoje, o consumidor vem desde o inicio do mês de novembro realizando pesquisas de preço e, com isso, já sabe o preço médio do produto. No mercado local, aqui em Teresina, aqueles produtos que são anunciados realmente são disponibilizados em prateleira com o valor ofertado para venda”, afirmou o presidente do Sindilojas.

Tertulino Passos (Foto: Divulgação/Sindilojas)

O consultor de vendas Kelvin Carvalho, diz que espera que haja uma fiscalização através dos órgãos competentes, para que consumidores como ele não sejam prejudicados. “Eu espero que realmente aconteça uma fiscalização para que garantam o direito do consumidor, porque muitas vezes somos prejudicados com falsas promoções e ficamos sem o item que planejamos comprar”, pontuou.

O MPPI, por meio do PROCON, disponibilizou em seu site uma tabela com preços de produtos ofertados antes do período da Black Friday. A partir dessa tabela, o consumidor pode comparar os preços dos produtos da Black Friday com os ofertados fora desse período e, com isso, verificar os valores de promoções e descontos, para assim ter condições de saber se está sendo lesado ou não. Então, você consumidor, fique atento às dicas e aos seus direitos para que a sua Black Friday não seja decepcionante.

Dicas para evitar fraudes e maus negócios

Primeiro, faça uma lista prévia dos produtos que você precisa para não prejudicar o seu orçamento. Você também deve ter uma ideia do preço médio do produto e se planejar para não fazer uma má compra. Essa dica é de maior importância para compra em loja física, pois a lei não garante a devolução do produto após a aquisição.

Verifique o seu orçamento para adequar a compra. Veja se valerá a pena adquirir o bem em valor integral ou se será melhor dividir em parcelas. Atente-se ao valor do parcelamento para que não gere endividamento.

Em compras pela internet, é importante verificar a reputação do site. O ideal é evitar sites pequenos. Outro ponto importante em compras online é de que, caso o produto não esteja disponível, mas o valor permaneça anunciado, o consumidor pode denunciar ao Procon, pois terá direito ao produto com o preço do anúncio.

Ainda em caso de compras pela internet, se o preço for alterado após o produto estar no carrinho, o consumidor deve documentar através de vídeo ou print e apresentar denúncia ao Procon, pois terá direito ao produto com preço ofertado.

Além disso, a atenção deve estar redobrada para o pagamento de boletos. Antes de pagar, tenha atenção para qual o nome está sendo destinado o pagamento para não cair no conhecido golpe do boleto falso. Essa dica também vale para pagamentos através de pix.

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM