Banner de Aniversário

Geral

Sistema de transporte público de Teresina corre sério risco de colapsar, afirma Setut

O coordenador da empresa falou sobre o assunto em entrevista ao JT2

Publicado por: Lilian Oliveira 16/11/2022, 17:01

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut), o sistema de transporte público da capital tem enfrentando dificuldades para o seu efetivo funcionamento devido à falta de soluções apresentadas pelo poder público.

Entre os problemas listados pela empresa estão as negociações não cumpridas e falta de repasses financeiros contratuais, necessários e de direito dos consórcios. O Setut informou que tem cobrado ao município resoluções e atuado para evitar maiores problemas no setor, principalmente para os usuários. 

Vinícius Rufino (Foto: Divulgação/Ascom)

Em entrevista ao Jornal Teresina 2° edição, nesta quarta-feira (16), o coordenador do Setut, Vinicius Rufino, afirmou que o desejo das concessionárias, dos empresários, é poder atender os passageiros da maneira que eles esperam. 

O entrevistado apontou, como uma das possíveis soluções para os problemas, a desoneração de tributos estaduais (ICMS E IPVA). Segundo ele, a ideia traria uma redução considerável no custo. “Aqui em Teresina teria cerca de 12% de economia no custo”, destacou o coordenador. 

De acordo com ele, as capitais vizinhas a Teresina, Fortaleza e São Luís, subsidiam a aplicação de frota adicional. “Os entes estaduais e municipais bancam para o sistema milhões de reais em subsídio para cobrir o custo e colocar cerca de 100 ônibus no horário de pico”, ressaltou. 

Setut cobra PMT e motoristas pressionam o sindicato

O Setut ainda cobra da Prefeitura de Teresina mais de R$ 100 milhões, valor referente a subsídios. De acordo com Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro), o dinheiro diz respeito ao acumulado desde o início da gestão de Doutor Pessoa. 

A mais nova cobrança condiz aos custos com a gratuidade no segundo turno da eleição presidencial. O Setut cobrou R$ 300 mil, montante que ainda não foi repassado.

O sindicato cobra da Prefeitura e os motoristas e cobradores pressionam a entidade. Se nada for resolvido, os serviços de transporte coletivo da capital vão ficar comprometidos novamente. 

A ameaça foi feita nesta terça-feira pelo Sintetro, que representa motoristas e cobradores de ônibus de Teresina.

Confira a entrevista na íntegra:  

 

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM