Banner de Aniversário
Gif sobre o fundo estadual dos direitos da criança e do adolescente.

O voto

16 de janeiro de 2020

Dois mil e vinte, que acabamos de inaugurar, é um ano político. É um ano de eleição. E em ano de eleição geralmente o tempo é de muita fartura. Para alguns, registre-se por oportuno.

Ano de eleição é aquele ano onde as dificuldades desaparecem como num passe de mágica. É como se o velho feiticeiro da aldeia guardasse as poções mais poderosas para este momento tão especial. Especial, registre-se mais uma vez, para poucos.

Já vimos esse filme muitas vezes nas últimas décadas. Ninguém pode negar esse fato.

As poderosas e milagrosas poções do velho pajé entorpecem as pessoas. E essas pessoas quando acordam já fizeram o que não deveriam ter feito.

Aí já tarde demais, Inês é morta.

Não resta dúvida de que a realização de eleições, seja para prefeitos e vereadores, seja para deputados e senadores, seja governadores e presidente da República, aumenta a expectativa de mudança no cenário político. No Piauí não.

No Piauí já se sabe antecipadamente quem será o prefeito e quem serão os vereadores eleitos em 2020.

Faltando quase três anos também já sabemos quem serão os deputados e o governador do estado em 2022.

No Piauí o eleitor se conforma em apenas confirmar o veredito e os nomes escolhidos por antecipação. Até quando, sinceramente, ninguém sabe.

É preciso quebrar a mandinga, é preciso quebrar as velhas urucubacas originárias dessas poções poderosas do velho curandeiro.

Mandingas e urucubacas que levam muitos de nossos eleitores ao ceticismo e ao conformismo; que nos levam a acreditar que tem que ser assim mesmo. Que nos levam acreditar que corrupção é inerente a política brasileira.

Estamos sendo enganados.

Por estes que pensam e agem assim, estamos pagando muito caro.

O real sentido da democracia está exatamente na possibilidade de o cidadão, o eleitor, exercer a soberania popular, que se materializa pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto na escolha dos governantes.

Voto sempre foi e continuará sendo para sempre o mais importante instrumento de mudança política e social de um país, de um estado e de um município. O eleitor precisa saber disso.

O eleitor precisa saber que diante da liberdade e da igualdade no exercício do voto, é fundamental que o voto seja consciente, pois essa consciência vai ser decisiva para o futuro de todos nós, piauienses e brasileiros.

A hora do voto é um dos raros momentos em que todos se igualam. É o momento onde não há diferença de raça, de sexo ou condição financeira; é o momento onde não há distinção entre grupo ou classe social.

O voto tem o mesmo peso, tem o mesmo valor.

E se é assim, por que desperdiçar este momento único?

Pense nisso!

Ainda há tempo!

Leia também

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM