Propaganda do Governo do Estado do Piauí

 A cruz de cada dia

14 de setembro de 2020

Talvez você não saiba, mas hoje, 14 de setembro, é o Dia da Cruz.

O Dia da Cruz, ou o dia de exaltação à Santa Cruz, é uma homenagem ao grande símbolo cristão, no qual se acredita que Jesus tenha alcançado a vitória sobre a morte e o pecado.

Conta a tradição que no ano 320 a imperatriz Santa Helena, mãe de Constantino, o primeiro imperador romano cristão da história, encontrou a cruz onde Jesus teria sido morto tornando o local um lugar sagrado e onde tempos depois surgiria a Igreja do Santo Sepulcro.

Nesses mais de dois mil anos, a cruz passou a ser o símbolo da vitória do bem sobre o mal, da justiça contra a injustiça, da liberdade contra a opressão, do amor contra o egoísmo, porque, no seu lenho, Cristo pagou à Justiça Divina o preço infinito do resgate de toda a humanidade.

Jesus, segundo as escrituras sagradas, ordenou que cada cristão  carregue a sua cruz.

Esta cruz é diferente a cada dia. Mais pesada hoje, mais leve amanhã, talvez o inverso.

Jesus mandou tomar a nossa cruz a cada dia e essa cruz deve ser assumida com galhardia, sem revolta; deve ser assumida na fé, ainda que com muitas lágrimas.

E lágrimas não têm faltado nessa cruz que nos foi destinada.

Como tem pesado a nossa cruz.

Será que nos faltou força para conduzir a nossa cruz até o final e por isso fomos abandonados ainda no meio do caminho?

Como explicar o padecimento, o sofrimento do povo brasileiro em busca de saúde, de justiça, de moradia, de educação e de segurança?

Como explicar a miséria do nosso povo que ainda hoje clama por água e por comida diante de um sol inclemente e dos ouvidos moucos dos governantes?

Como explicar essa ascensão social tão presente nas estatísticas oficiais, mas nunca concretizada?

Senhor, dai-nos força para carregar a cruz, mas dai-nos também a esperança para que possamos ainda acreditar que um dia tudo será melhor.

Dai-nos dignidade – um valor fundamental e constitucional que norteia todas as nossas atividades.

Dai-nos fé, sobretudo fé, para que a gente ainda possa acreditar nos homens, mesmo diante de tudo que já se viu e ouviu neste país; mesmo diante dessa roubalheira sem fim, mesmo diante da inércia de muitos; mesmo diante das promessas agora e sempre renovadas.

Que o peso da cruz sirva de reflexão para nossos dirigentes e também para todos nós.

Leia também

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM