Política

Merlong Solano tenta justificar voto contrário à PEC da “Saidinha” e é atacado por internautas

Parlamentar petista se explicou por meio de vídeo divulgado em suas redes sociais

Publicado por: Wanderson Camêlo 05/08/2022, 14:56

Merlong Solano (PT), um dos representantes da bancada federal piauiense a votar contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Saída Temporária, tentou até justificar o posicionamento, mesmo assim foi bastante criticado.

O petista se explicou por meio de vídeo, divulgado em suas redes sociais, e foi atacado por vários internautas.

Merlong Solano, deputado federal pelo PT (Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados)

“Votei com muita convicção a favor da manutenção da saída temporária para quem está preso no Brasil. São mais de 800 mil pessoas presas por cometerem os mais diversos tipos de crimes, inclusive o criminoso que não representa um perigo para a sociedade porque cometeu um crime pontual, por exemplo, se envolveu em um crime de trânsito. Tem que responder pelo que fez, mas ele não pode ir para a mesma ala da penitenciária onde estão os estupradores, os assaltantes a mão armada, onde estão os assassinos de aluguel […], destacou Merlong em postagem feita nesta quinta-feira (4).

A publicação recebeu uma enxurrada de comentários; grande parte contém críticas ao deputado. “É muito fácil votar a favor da saidinha dos presos, quando se anda com segurança armado, mora em condomínio fechado. #ForaPT”, escreveu um dos internautas. 

Deputado é atacado nas redes sociais ao tentar justificar voto contrário à PEC (Foto: Reprodução/Instagram)

PEC da “Saidinha”

A maioria dos parlamentares piauienses votou a favor do texto-base da PEC da Saída Temporária, que extingue a liberação de detentos do regime semiaberto.

Em sessão plenária na Câmara dos Deputados, na noite desta quarta-feira (3), seis deputados aprovaram a proposta, enquanto apenas três rejeições e uma ausência foram registradas.

Os políticos que votaram “sim” são os seguintes: Átila Lira (Progressistas), Fábio Abreu (PSD), Iracema Portella (Progressistas), Júlio César (PSD), Marcos Aurélio Sampaio (PSD) e Margarete Coelho (Progressistas).

Proposta quer abolir direito à saída temporária dos presos no semiaberto (Foto: Divulgação/Sejus)

Os únicos deputados que votaram “não” foram Flávio Nogueira, Merlong Solano e Rejane Dias, todos do PT. Somente Marina Santos (Republicanos) não compareceu à votação.

No total, a proposta foi aprovada por 311 parlamentares e rejeitada por 98, e segue agora para apreciação do Senado, que irá analisar as alterações feitas pela Câmara.

O texto, apresentado pelo relator Capitão Derrite (PL-SP), indica a abolição completa das saídas temporárias, previstas aos condenados em regime semiaberto durante feriados, frequência de cursos e participação de atividades.

Matéria relacionada:

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM