Banner de Aniversário

Teresina

Estudantes fazem homenagem à Janaína Bezerra e protestam por segurança e justiça na UFPI

Investigação aponta que estudante foi vítima de violência sexual antes de ser morta.

Publicado por: Caio Rabelo 31/01/2023, 09:12

Matéria de Gabriel Prado

Centenas de estudantes, professores, servidores e alunos egressos se juntaram nesta segunda-feira (30) em frente à reitoria da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em uma vigília em homenagem à vida de Janaína Bezerra, aluna do curso de jornalismo encontrada morta no última sábado (28) em uma “calourada” no campus universitário. O grupo também fez protestos e reivindicações por mais segurança no campus e justiça pelo caso de Janaína.

Estudante pede justiça por Janaína (Foto: Gabriel Prado)

O movimento foi organizado pelo Centro Acadêmico de Comunicação Social (CACOS), tendo início às 16h no coreto da reitoria da UFPI, onde houveram várias falas por parte do corpo docente, discente, familiares e amigos. Manifestações de indignação se fizeram presentes, além do apoio prestado por movimentos sociais e também pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A vice-presidente da Comissão de Direito Sindical da OAB Piauí, Isadora Cortez, lamentou a morte da jovem e teceu críticas à Universidade pela falta de segurança. Isadora também afirmou que a OAB prestará todo o apoio possível para que haja justiça no caso.

Maria do Socorro, mãe de Janaína, falou, emocionada, ao público presente:

“Eu só peço por justiça por ela. Ela estava lutando por nós, para ajudar nossa família e destruíram o sonho da minha filha. Estou clamando justiça por ela”, cobra Maria.

Vigília em caminho ao espaço “carretel” (Foto: Gabriel Prado)

O movimento prosseguiu com uma passeata até o espaço “carretel”, no Centro de Ciências da Educação (CCE), onde foram prestadas homenagens à Janaína, récita de poesias da aluna, momentos de apelo e protesto em prol de maior segurança na universidade e manifestações religiosas.

Espaço “carretel” ocupado pela vigília (Foto: Gabriel Prado)

Corpo docente

Em entrevista concedida ao portal da Teresina FM, o professor do curso de jornalismo Fenelon Rocha teceu sua análise sobre o caso e sobre a atual situação da universidade:

“A segurança na universidade não é a devida e está muito longe de ser. Mas, acima de tudo, temos um problema maior: a cultura da violência, principalmente contra a mulher, que é absolutamente naturalizada. Temos que, primeiro, enfrentar a questão da violência de gênero e saber colocar isso na pauta do dia e dizer que não pode mais continuar. Não pode-se fazer vista grossa como a sociedade vem fazendo para um problema tão grave. Na repercussão desse caso vimos muitas pessoas culpando a festa ou a própria vítima e isso é um absurdo.”

Confira imagens da tarde de ontem:

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM