Banner de Aniversário
Gif sobre o fundo estadual dos direitos da criança e do adolescente.

Saúde

Gerente da Vigilância Sanitária municipal explica fiscalizações e reforça protocolos contra a Covid-19

Gevisa vem monitorando estabelecimentos a fim de fazer cumprir as medidas restritivas impostas no combate à pandemia

Publicado por: FM No Tempo 17/02/2022, 10:01

A Vigilância Sanitária de Teresina (Gevisa), desde o início da pandemia de Covid-19, realiza um trabalho de coibir (ou mesmo proibir) aglomerações de pessoas e de conscientizá-las acerca da importância dos protocolos sanitários. Apenas neste final de semana, o órgão fiscalizou 120 estabelecimentos, entre bares, restaurantes e boates. Desses, apenas 11 foram notificados e um foi autuado.

Para a gerente Larisse Portela, a vacina é crucial, mas as outras medidas de prevenção são igualmente importantes. “Juntamos forças à Vigilância Sanitária estadual e à Polícia Militar, a qual fornece seu serviço de inteligência para detectar locais com festas clandestinas, e contamos com telefonemas da própria população, que denunciam eventos irregulares”, explicou em entrevista ao JT1 da Teresina FM.

Foto: Teresina FM

Atualmente, segundo a entrevistada, todos os serviços retomaram seu funcionamento após a flexibilização das atividades econômicas no segundo semestre de 2021, embora ainda estejam sujeitos a restrições. O decreto estadual mais recente, publicado em 1º de fevereiro, autoriza estabelecimentos de alimentação e bebidas a receberem apresentações musicais, desde que não gerem aglomeração.

“Caso os fiscais da Gevisa identifiquem alguma infração sanitária, notifica o proprietário e, em última instância, expede multa. Ainda não chegamos a interditar nenhum local, a maioria colabora com nosso trabalho”, revelou.

Em relação ao retorno às aulas presenciais, Larisse apontou a existência de dois grupos: o primeiro apoia completamente a volta das atividades, enquanto o segundo ainda tem preocupações envolvendo a transmissão da Covid-19 no ambiente escolar. Geralmente, observou, as contaminações ocorrem fora e são levadas para dentro das escolas.

“Seguimos a norma técnica 02/2022 expedida pela Vigilância Sanitária estadual, que traz as seguintes orientações: se um aluno positivar, apenas ele deve ser afastado. Deve-se proceder do mesmo modo com os professores e trabalhadores da educação. No caso de infecção de dois ou mais alunos/profissionais durante o isolamento do primeiro, ocorre a suspensão das aulas”, esclareceu.

Foto: Divulgação/FMS

Finalmente, Larisse reforçou que a Gevisa trabalha “de mãos dadas” com o Comitê de Operações Emergenciais (COE) da Prefeitura e do Governo do Estado, bem como acompanha o desenvolvimento das ações da Vigilância Epidemiológica. Ressaltou que os órgãos atuam juntos em prol do fim do cenário pandêmico e salientou que tal perspectiva deve estar vinculada ao comportamento dos cidadãos.

“Não podemos deixar de lado os principais cuidados, como usar máscara, evitar aglomerações, higienizar as mãos e, sobretudo, tomar vacina. Várias pesquisas já demonstram que a porcentagem de contaminações e óbitos em pessoas não vacinadas é bem maior que a verificada no público imunizado”, alertou a gerente.

A população pode entrar em contato com a Gerência de Vigilância Sanitária (Gevisa) por meio do telefone (86) 3215-9102, disponível em horário comercial de segunda a sexta.

Matérias relacionadas:

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM