Em Tempo

Hoje é Dia do Hospital Getúlio Vargas.

Nossa maior casa de saúde, que já foi referência para o Brasil, completa 78 anos.

Infelizmente sem ser nem mesmo sobra de um passado de glórias.

Mas, quem sabe, um dia…

A empresária Alzenir Porto continua na Junta Comercial do Estado.

Os protestos de quem necessita dos serviços do órgão foram em vão.

O governo fez ouvido de mercador.

Mas o importante é que comece, mesmo cinco meses depois da posse.

Esta conversa anda de boca em boca nos corredores do poder.

O algoz do coordenador de Comunicação João Rodrigues não foi Alisson Bacelar nem os prints daquelas conversas nada republicanas que vazaram nas redes sociais.

Quem degolou João Rodrigues foi o PP do senador Ciro Nogueira.

Ciro, contam, abriu mão da Secretaria de Saúde pela satisfação de degolar o desafeto da Comunicação.

A vingança – alguém já disse – é um prato que se come frio.

 

Francisco Guedes, que passou os últimos anos na direção da Fundação de Amparo a Pesquisa do Piauí – Fapepi – reclamou tanto que caiu fora e foi cair no Emater.

Pior para o professor Antônio Carlos do Amaral, um competente educador colocado num órgão de faz de conta onde vai ficar esquecido um bom tempo.

O governo até que tenta acertar, mas erra sempre.

 

Como uma conversa puxa outra, cadê o resultado das investigações da Polícia Civil e da Polícia Federal sobre os famosos prints vazados em grupo de watts zap com aquelas conversas cabeludas do coordenador João Rodrigues?

O governo pode até esquecer, mas o contribuinte não.

Com a palavra a polícia.

 

A Carnaúba Comunicação, contratada pela CCOM para realizar um seminário ao preço de R$ 475 mil, tem um capital social de modestos R$ 20 mil.

Os donos da empresa são Maria do Socorro Soares Gomes Lopes e Paulo de Tarso Gomes Lopes.

O endereço é rua Jornalista Dondon 2634, sala 3, Horto Florestal.

Cadê o Ministério Público, gente?

 

Governo rico é outra coisa.

A Coordenadoria de Comunicação contratou a empresa Carnaúba Comunicação e Publicidade LTDA para promover o 1º Seminário sobre o Piauí no século XXI.

Por isso o governo estadual está pagando R$ 475 mil.

O interessante é que o próprio documento deixa a critério da empresa a data para realização do evento.

Enquanto isso as viaturas da polícia não tem gasolina.

O advogado Daniel Oliveira deixou o governo por conta própria, como ele mesmo diz.

Saiu para se dedicar à sua banca de advocacia, onde possui muitos clientes e tem muito serviço, graças a Deus.

Mas seus amigos andam espalhando que se ele for convidado para a Secretaria de Educação muda de opinião e aceita no ato.

Contato
  • (86) 99972-0111
  • jornalismo@teresinafm.com.br


Anuncie conosco
  • (86) 98153-2456
  • comercial@teresinafm.com.br
Teresina FM